O grupo GALABRA

surge na Faculdade de Filologia da Universidade de Santiago de Compostela e vem, originariamente, do estudo da literatura como património e como fabricadora de ideias para as pessoas e as comunidades, no entendimento da literatura e da atividade literária como parte da cultura. Daí alarga o seu quadro para a cultura compreendida como bem e como ferramenta de pessoas e comunidades até a expressão investigadora atual.

Como resultado desta trajetória, Galabra dedica a sua investigação ao campo da cultura entendida nos modos em que as pessoas e as comunidades organizam as suas vidas, classificam, intervêm e evoluem no mundo. Isto prende-se com assuntos de coesão social, sustentabilidade identitária, evolucionismo cultural, desenvolvimento comunitário, etc.

Galabra incorpora ao seu trabalho investigador a reflexão e a prática sobre a transferência (com experiência na criação de empresas spin-off, acordos de transferência e assessoria e consultoria culturais desenvolvidos) e a Responsabilidade Social Investigadora (entendida como a incorporação à análise de resultados investigadores dos sectores afetados ou interessados por eles).

Desenvolve neste momento fundamentalmente trabalho sobre discursos e práticas culturais na comunidade local da cidade de Santiago em função d@s visitantes (da Galiza, Estado Espanhol, Portugal e Brasil). Linhas como assessoria cultural, diplomacia cultural e internacionalização de mercados culturais (em particular o literário da área brasileira) estão também presentes na sua atividade, onde a dedicação fundamental está centrada no âmbito das comunidades de língua portuguesa.